• Min: 18 °C Max: 28 °C
  • Belo Horizonte, 04 de Dezembro de 2020 geoclima

Alvorada Perfil - Sá & Guarabyra, a dupla que mudou o rock brasileiro

• 20/11/2020 •

foto

Dupla musical formada no ano de 1971 entre um carioca e um baiano, Sá & Guarabyra estão entre os mais influentes nomes do rock brasileiro nos anos 1970 e continuam a encantar gerações de novos músicos e fãs até hoje. Luiz Carlos Pereira de Sá e Guttemberg Nery Guarabyra Filho foram apresentados em 1966 por Nelson Lins de Barros, um amigo em comum que morava no Rio de Janeiro e organizava saraus com muitos artistas entre poetas, cantores e instrumentistas. Desde então os dois cultivam uma grande amizade, fazem arte e grandes espetáculos juntos.

 

SE ENCONTRANDO NO CAMINHO

Armazém da Música Brasileira : Sá & Guarabyra - Discografia

(Foto: Arquivo Sá & Guarabyra)

 

Luiz Carlos Sá teve uma infância e adolescência regadas aos sambas que seu pai e irmãs ouviam, principalmente músicas de Noel Rosa e Ary Barroso, que influenciaram muito no estilo do artista. Na juventude, em meados da década de 1960, se mudou para a Tijuca, onde passou a fazer parte de grupos musicais e vocais e teve suas primeiras experiências com gravação de músicas solo. No fim de 1965 o artista já fazia sucesso regionalmente e algumas de suas músicas como “Baleiro” e “Capoeira Oxalá” foram grandes hits nas rádios do Rio de Janeiro, além de “Giramundo”, que foi gravada por Pery Ribeiro, grande artista da época .

Guarabyra acumulava experiência com apresentações e palcos desde a infância. Filho de pastor da igreja batista, cantou no coral da igreja desde os 6 anos e desde então passou a cantar e criar melodias. Junto seu irmão Gilson Guarabyra, aos 15 anos montou um espetáculo de música folclórica, que levou os irmãos para várias cidades ribeirinhas entre a Bahia e Minas Gerais. Os pequenos shows faziam sucesso e, mais tarde, Guarabyra passa a ser convidado para abrir espetáculos maiores e começa a produzir suas primeiras composições solo. Em 1967, junto do Grupo Manifesto, do qual fazia parte, o artista fica em primeiro lugar no badalado Festival Internacional da Canção com a música "Margarida".

 

Mesmo tendo se conhecido em 1966 continuado em contato como grandes amigos e parceiros de composição desde então, Luiz Carlos Sá e Guttemberg Guarabyra não tinham a pretensão de se juntar nas gravações e palcos, até que a dupla conheceu José Rodrix em 1970. Naquele ano, Rodrix, que também cantava e compunha, propôs aos dois que gravassem juntos a ele em um novo projeto.

Assim, em 1971 os três começaram sua parceria musical e juntos fizeram a primeira música do grupo Sá Rodrix e Guarabyra, “Me Faça Um Favor", que já foi um grande sucesso em rádios do Rio e impulsionou a gravação do primeiro disco do trio, “Passado, Presente, Futuro”.

 

SÁ, RODRIX E GUARABYRA

Cumpadre Meu - Sá, Rodrix & Guarabyra - LETRAS.MUS.BR

O disco, lançado em 1972, alavanca a carreira do trio, que ficou conhecido principalmente por sua originalidade e irreverência em mesclar vários estilos que nunca antes haviam se juntado, como samba, rock, música folclórica e até sertaneja. Na época, as músicas foram muito aclamadas principalmente pela novidade que apresentavam e por ser um som extremamente brasileiro e contemporâneo, de forma que os artistas pareciam menos preocupados em como a música seria vista e procurando se divertir mais do que tudo.

A partir daí as músicas feitas por Luiz Carlos Sá, Gutemberg Guarabyra e José Rodrix tiveram enorme alcance nacional e, segundo críticos musicais da época, o álbum “Passado, Presente, Futuro” foi responsável pela  criação de um novo gênero musical, que levou o nome de “Rock Rural”. Em 1973 o trio eleva a proposta Rock Rural e das músicas inovadoras no disco “Terra”, em que lançam sucessos como “Os Anos 60”, “O Pó da Estrada” e o grande hit “Mestre Jonas”.

Em 1973 Rodrix deixa o conjunto para seguir carreira solo e Sá segue com Guarabyra na dupla. Em 1999, os dois anunciam o retorno do ex-integrante e o trio roda o Brasil com os antigos repertório. Até 2009 o trio lança outros dois discos até que José Rodrix morre, no maio daquele ano, após passar mal em sua casa de campo.

 

GRANDES SUCESSOS E PARCERIAS

A partir de 1974, já como Sá & Guarabyra, a inovação dos jovens artistas chama muita atenção de grandes músicos da época, principalmente da cena mineira e, neste momento, o rock rural acaba por ser apadrinhado por grandes ícones do Clube da Esquina. Entre Milton Nascimento, Beto Guedes, Toninho Horta e Flávio Venturini, que se torna um grande parceiro do grupo.

Juntos, Sá, Guarabyra e Flávio Venturini, em meados dos anos 1970 e nos anos 1980 fazem muitas composições de sucesso que vão parar tanto no repertório da dupla quanto do artista mineiro que, também na década de 1970, forma o 14 Bis, outros grandes parceiros de Sá & Guarabyra. Entre as composições de maior sucesso, Venturini assina junto da dupla a música “Espanhola”.

Em 1982, quando a dupla completava 10 anos, Sá & Guarabyra lançaram um disco comemorativo que vendeu mais de 1 milhão de cópias no Brasil e apresentou para o público os grandes sucessos “Dona” e “Caçador de Mim”, esta última composta por Sérgio Magrão e Sá, hoje amplamente conhecida também pelos fãs do 14 Bis e de Flávio Venturini.

Até hoje, Sá & Guarabyra são muito próximos dos mineiros. Esta longa parceria deu origem, em 2015, ao espetáculo “Encontro Marcado”, apresentado pelo 14 Bis (Vermelho, Hely, Cláudio Venturini, e Sérgio Magrão), Sá, Guarabyra e Flávio Venturini. Os shows foram apresentados até 2019 com repertório de todos os artistas em um grande espetáculo que ganhou também um formato em DVD e álbum ao vivo em 2016.

Desde a criação do trio e, posteriormente, da dupla, Sá & Guarabyra já produziram e lançaram 13 álbuns de estúdio juntos, além de 4 com a participação de Zé Rodrix e outros produzidos com grandes parceiros da dupla, como o "Encontro Marcado".

Atualmente a dupla está pausada devido a pandemia do novo coronavírus, mas confirmam que voltarão aos palcos assim que for seguro. Hoje Sá mora em Belo Horizonte com a esposa e os filhos e escreve para colunas mensais como cronista. Durante a quarentena, o artista produziu diversas lives, que chamou de “lives do Sá”, semanalmente celebrando e tocando músicas algum álbum da dupla, além de seus discos solo. Já Guarabyra, que além da dupla hoje se apresenta em palestras e shows com Toninho Vaz, importante jornalista e escritor, vive em São Paulo também com seus filhos.

VEJA TAMBÉM

03/12/2020

Flávio Venturini lança “Paisagens Sonoras”, primeiro álbum inédito em sete anos

03/12/2020

Luiza Possi e De Maria lançam primeira parte de documentário sobre a produção do álbum “Submersos”