• Min: 18 °C Max: 28 °C
  • Belo Horizonte, 03 de Dezembro de 2020 geoclima

Caso Brumadinho: CPI conclui que BH e Região Metropolitana podem ficar sem água

• 20/08/2019 • Painel Alvorada

foto
Foto: Gaspar Nóbrega/SOS Mata Atlântica

Belo Horizonte e a Região Metropolitana correm o risco de ficar sem abastecimento de água. Esta é a conclusão de um relatório elaborado pela CPI das Barragens, na Câmara Muncipal de Belo Horizonte. O problema é decorrente da contaminação do rio Paraopeba, atingido pelos rejeitos da barragem da Vale que se rompeu em Brumadinho.

O sistema que dependia da água do Paraopeba era responsável pelo abastecimento de 43% dos moradores da capital, e está paralisado desde o dia da tragédia, em 25 de janeiro. Em termo de compromisso firmado com a Copasa, a mineradora se comprometeu a investir cerca de R$ 450 milhões para reparar os danos na captação de água no local.

Além da contaminação do rio Paraopeba, o rompimento da barragem deixou 270 pessoas mortas, 22 delas ainda não foram encontradas em meio aos rejeitos.

Tags: Rio Paraopeba , Barragens , Grande BH , Água , CPI Brumadinho , Belo Horizonte MG , CPI das Barragens


COMPARTILHE ESTA MATÉRIA POR:

ESCRITO POR

ALVORADA FM

CONHEÇA A NOSSA PROGRAMAÇÃO

Ao longo de suas quatro décadas de história, a Alvorada FM busca o aperfeiçoamento contínuo para sempre garantir a qualidade e manter-se como sinônimo de modernidade e sofisticação.

VEJA TAMBÉM

25/11/2020

Enquete, Nova Versão

Moradores de Nova Lima e Raposos vão participar de testes das sirenes de barragens da Vale

25/11/2020

Painel Alvorada

Justiça determina retomada das medidas de segurança em barragens da Vale

25/11/2020

Painel Alvorada

Buscas em Brumadinho são alteradas devido à identificação de trincas em barragem da Vale

MAIS RECENTES

Rússia e Reino Unido se aproximam de vacinar população contra Covid-19; Brasil pode iniciar campanha em janeiro

Coronavírus já matou 10.187 pessoas em MG; governo assina documento de intenção para vacina

Aditamento de contratos do Fies é prorrogado para 30 dezembro

Orçamento para 2021 só deve ser votado em fevereiro ou março, diz líder do Senado

VER MAIS NOTÍCIAS