• 21ºC
  • Belo Horizonte, 21 de Novembro de 2019 geoclima

CLIQUE E COMPARTILHE

status

TINA TURNER

I don't wanna lose you

  • VAI TOCAR
  • -
  • -
play ouça agora

BIOGRAFIA DO ARTISTA

Previsão de crescimento do PIB deve ser de 0,9% neste ano

• 16/10/2019 • Painel Alvorada

foto
Foto: Reprodução

Previsão de crescimento do Produto Interno Bruno (PIB) brasileiro deve ser de 0,9% neste ano, segundo relatório do FMI divulgado nesta segunda-feira (14). Leve alta de 0,1% em relação ao cenário estimado em julho. Para 2020, a expectativa é de que o Produto Interno Bruto avance 2%, queda de 0,4% na mesma comparação.

De acordo com o Fundo, a reforma da Previdência é importante para garantir a viabilidade do sistema de seguridade social e a sustentabilidade da dívida pública. Porém, o governo também precisará buscar uma ambiciosa agenda de reformas, incluindo a tributária, além da abertura comercial e investimento em infraestrutura.

Com relação à economia global, o FMI reduziu a estimativa de crescimento de 3,2 para 3% em 2019. Para o ano que vem, o avanço deve ser de 3,4%, queda de 0,1 ponto percentual ante a previsão de julho.

Tags: Brasil , Economia , PIB , Governo Federal , População Brasileira


COMPARTILHE ESTA MATÉRIA POR:

ESCRITO POR

ALVORADA FM

CONHEÇA A NOSSA PROGRAMAÇÃO

Ao longo de suas quatro décadas de história, a Alvorada FM busca o aperfeiçoamento contínuo para sempre garantir a qualidade e manter-se como sinônimo de modernidade e sofisticação.

VEJA TAMBÉM

20/11/2019

Enquete, Nova Versão

Leilão do 5G é incluída em lista de concessões para 2020

20/11/2019

Painel Alvorada

Seleção Brasileira enfrenta Coreia do Sul hoje em jogo amistoso

20/11/2019

Painel Alvorada

Cerca de R$ 14 bilhões do Orçamento de 2019 que estavam retidos é desbloqueado pelo Governo Federal

MAIS RECENTES

Ministros do STF abrem julgamento sobre uso de dados

Mineirão anuncia criação de canal para denúncias de crime de racismo

CCJ da Câmara aprova PEC da prisão em segunda instância

O embaixador dos EUA na UE diz que seguia ordens de Trump sobre pressão na Ucrânia

VER MAIS NOTÍCIAS