• Min: 19 °C Max: 31 °C
  • Belo Horizonte, 20 de Setembro de 2020 geoclima

Publicada portaria que reajusta em 4,48% benefícios do INSS

• 11/02/2020 • Painel Alvorada

foto
Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Novas faixas de cálculo e alíquotas de contribuição do INSS foram oficializadas hoje pelo Governo Federal. A portaria publicada no Diário Oficial da União introduz as mudanças de regras da reforma da Previdência em primeiro de março. Agora, as novas faixas de cálculo da contribuição paga mensalmente por cada trabalhador será entre sete e meio e 14%.

A portaria também oficializou o piso de R$ 1.045 para os benefícios pagos pela Previdência Social. Pela lei, aposentadorias, auxílios-doença e reclusão, além de pensão por morte pagas pelo INSS não podem ser inferiores a um salário mínimo.

Benefícios pagos pelo INSS também serão reajustados em 4,48%, com data retroativa a primeiro de janeiro deste ano. A correção incide, por exemplo, sobre auxílio-doença e pensões por morte ou para portadores de hanseníase. O aumento é calculado de acordo com o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor de 2019.

Tags: Reforma da Previdência , INSS , Governo Federal


COMPARTILHE ESTA MATÉRIA POR:

ESCRITO POR

ALVORADA FM

CONHEÇA A NOSSA PROGRAMAÇÃO

Ao longo de suas quatro décadas de história, a Alvorada FM busca o aperfeiçoamento contínuo para sempre garantir a qualidade e manter-se como sinônimo de modernidade e sofisticação.

VEJA TAMBÉM

18/09/2020

Enquete, Nova Versão

Governo convoca médicos peritos do INSS para retorno imediato ao trabalho

18/09/2020

Painel Alvorada

INSS cortará salário de peritos que não forem trabalhar

18/09/2020

Painel Alvorada

INSS garante perícias médicas a partir de amanhã; ANMP afirma que serviço continua suspenso

MAIS RECENTES

Bares com música ao vivo, clubes e Feira Hippie recebem autorização para voltar a funcionar em BH

Tite convoca a Seleção Brasileira para a estreia nas Eliminatórias

Minas já tem mais de 265 mil casos confirmados de Covid-19

Desemprego bate recorde no Brasil em agosto, diz IBGE

VER MAIS NOTÍCIAS