• 29ºC
  • Belo Horizonte, 15 de Dezembro de 2019 geoclima

CLIQUE E COMPARTILHE

status

TINA TURNER

I don't wanna lose you

  • VAI TOCAR
  • -
  • -
play ouça agora

BIOGRAFIA DO ARTISTA

Relatório sobre análise das águas do rio Paraopeba sai na quarta-feira

• 28/01/2019 • Notícias

foto
Foto: Washington Alves / Reuters

Resultado da análise das águas do Rio Paraopeba, que corta a região atingida pelo rompimento da barragem da mineradora Vale, será divulgado até quarta-feira (30). A informação foi anunciada ontem (27) pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. A análise vai colher amostras em 47 pontos de captação ao longo do curso do rio, que é um dos principais afluentes do rio São Francisco. A estimativa é de que a onda de lama chegue com menos força ao reservatório de Retiro Baixo até o dia 6 de fevereiro. A Copasa informou que o abastecimento de água da Região Metropolitana de Belo Horizonte não será prejudicado com o rompimento da barragem do Córrego do Feijão. Caso seja necessário, o abastecimento da região atendida pelo sistema Paraopeba, passará a ser realizado pelas represas do Rio Manso, Serra Azul, Várzea das Flores e do Rio das Velhas, informou a Companhia.

Tags: Vale , Brumadinho


COMPARTILHE ESTA MATÉRIA POR:

ESCRITO POR

ALVORADA FM

CONHEÇA A NOSSA PROGRAMAÇÃO

Ao longo de suas quatro décadas de história, a Alvorada FM busca o aperfeiçoamento contínuo para sempre garantir a qualidade e manter-se como sinônimo de modernidade e sofisticação.

VEJA TAMBÉM

13/12/2019

Enquete, Nova Versão

Vale irá financiar Rodoanel em BH

13/12/2019

Repórter Alvorada

Estudo mostra que liquefação foi a causa do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho

13/12/2019

Painel Alvorada

Ministério Público de Minas investiga impactos ao meio ambiente em obra da Vale

MAIS RECENTES

Congresso aprova emenda que muda relação entre poderes

Novos saques do FGTS beneficiarão mais de 10 milhões de brasileiros

Ricardo Galvão, ex-diretor do Inpe, é escolhido como um dos 10 principais cientistas do mundo pela revista “Nature”

Áreas sob alerta de desmatamento na Amazônia crescem 78% em relação ao ano passado

VER MAIS NOTÍCIAS